O atendimento de pedidos inclui as atividades físicas necessárias para:1º Adquirir os itens mediante retirada do estoque, produção ou compra;

2º Embalar os itens para embarque;

3º Programar o embarque de entregas;

4º Preparar a documentação para o embarque.

Algumas destas atividades podem ser desenvolvidas em paralelo com as da entrada de pedidos, compactando assim o tempo de processamento.

O estabelecimento de prioridades de atendimento e os procedimentos para tanto exigidos influem no tempo do ciclo total do pedido de clientes individuais. É muito grande o número de empresas que nunca chegaram a estabelecer regras formais para entrada e processamento dos pedidos durante os estágios iniciais do seu atendimento. Uma dessas empresas enfrentava significativos  atrasos no atendimento de pedidos de clientes importantes quando os funcionários do setor, em momentos de excesso de trabalho, decidiam, por conta própria, despachar em primeiro lugar os pedidos menos complexos.

As prioridades no processamento de pedidos vão certamente influir na rapidez global do processamento ou na rapidez de despacho daqueles pedidos mais importantes. Algumas regras alternativas no tocante a regra de priorização seriam:

1º Primeiro a ser recebido, primeiro a ser processado;

2º O pedido de menor tempo de processamento;

3º Os pedidos com ordem de prioridade especificada;

4º Em primeiro lugar, os pedidos menores e menos complexos;

5º Os pedidos com menor prazo de entrega prometido;

6º Os pedidos com menos tempo restante até a data prometida de entrega.

A escolha de uma determinada regra depende de critérios de justiça para os clientes, importância diferenciada dos pedidos e da velocidade total de processamento que pode ser atingida. O processo de atendimento de pedidos, seja a partir de estoque disponível ou pela produção, soma-se ao tempo do ciclo do pedido em proporção direta ao tempo necessário para coletar, embalar ou produzir. Às vezes, o tempo do ciclo é estendido pelo desdobramento ou pela consolidação da carga.

Quando não há produtos imediatamente disponíveis para o atendimento do pedido, ocorre o parcelamento do embarque. Com relação aos produtos estocados, é razoavelmente alta a possibilidade da ocorrência de parcelamento, mesmo sendo os níveis de estocagem relativamente elevados.

Assim sendo, o atendimento parcial do pedido a partir de uma fonte de reserva para o produto é mais provável que se pensa.Em função disso, tempo adicional de processamento e procedimentos será necessário para completar o pedido.

Entregas parciais e grande parte de qualquer aumento da demora na informação sobre a situação dos pedidos podem ser  evitadas simplesmente pela retenção do pedido até a reposição dos estoques dos itens em falta. Claro que se trata de uma manobra inaceitável para o cliente. Portanto, o problema de decisão reside na compensação entre o acréscimo de custos de manuseio da informação e de transporte e o benefício da manutenção do nível dos serviços.

A decisão de reter pedidos, em lugar de preenchê-los e embarcá-los imediatamente, a fim de consolidar o pedido em cargas maiores mas de menor custo unitário de transporte, é algo que requer procedimentos de processamento mais sofisticados. A crescente complexidade é uma consequência, pois esses procedimentos devem estar ligados a um cronograma de entrega capaz de proporcionar um ganho global em matéria de processamento e eficiência de entrega.

 

Por Anderson

 

Fale Conosco