O controle avançado de puxar estoques significa que reconhecemos a impossibilidade de determinar com exatidão a demanda e os prazos de entrega. Por isso, precisamos planejar uma situação em que não há estoque suficiente para atender as solicitações dos clientes. Além do estoque regular, mantido para suprir a demanda média dos prazos de entrega, uma quantidade extra é adicionada ao estoque. O volume desse estoque de segurança, ou pulmão, determina o nível da disponibilidade de estoque proporcionando aos clientes mediante o controle da probabilidade da ocorrência de uma situação de falta de estoque.

Dois métodos de controle de estoque representam os fundamentos da maior parte das filosofias de gestão de tipo puxado com padrões de demanda perpétuos.
Passamos a citar:
1º O método do ponto de pedido;
2º O método de revisão periódica.

Sistemas práticos de controle podem ter base em qualquer um desses métodos, ou em uma combinação dos dois.

Hoje iremos abordar o primeiro método.

 

Modelo do Ponto de Pedido com Demanda Incerta

 

O controle de estoque do ponto de pedido presume que a demanda é perpétua e age continuamente sobre o estoque para reduzir seu nível. Quando o estoque é reduzido ao ponto em que sua quantidade se mostra igual ou menor do que um nível chamado de ponto de pedido, uma quantidade econômica de pedido é lançada na fonte de suprimento para repor o estoque. O nível eficaz do estoque em um determinado ponto no tempo é a quantidade disponível mais quantidade pedida, menos quaisquer comprometimentos do estoque, tais como pedidos em carteira ou alocações à produção ou a clientes.

A quantidade chega num tempo retardado pelo prazo de entrega. Entre o momento em que se faz o pedido de reposição no ponto de pedido e o momento em que ele chega ao estoque existe um risco em que a demanda venha a exercer o estoque restante. A probabilidade de que venha isto a ocorrer é controlada mediante aumento ou redução do ponto de pedido e pelo ajuste.

É comum que a quantidade do ponto de pedido exceda a quantidade do pedido, como no caso do exemplo prévio. Isso ocorre frequentemente quando os prazos de entrega são prolongados, ou muito altas as taxas de demanda. Para que o sistema de controle do ponto de pedido funcione adequadamente, é preciso assegurar que o momento do pedido de reposição tenha base em nível efetivo de estoque.  Recorde-se  que o nível efetivo de estoque impõe que todo o estoque em pedido seja acrescentado à quantidade disponível quando se faz um balanço com o ponto de pedido.

 

O Custo Relevante Total

 

O custo total é útil para comparar entre políticas alternativas de estoque ou na determinação do impacto dos desvios das políticas ótimas. Acrescentamos dois novos termos à fórmula do custo total estabelecida na Equação, que responde pela incerteza. São os termos estoque de segurança e falta de estoque. O custo total pode agora ser expressado como:

Custo total = Custo do pedido + Custo da manutenção do estoque normal + Custo da manutenção do estoque de segurança + Custo de falta de estoque

em que k é o custo unitário da falta de estoque. O termo custo da falta de estoque requer alguma explicação. Em primeiro lugar, o termo combinado S´dE representa o número previsto de unidades da falta de estoque durante um ciclo de pedidos. E (z) é chamado função perda normal * cujos valores são tabulados como uma função do desvio normal z. Em segundo lugar, o termo D/Q é o número de ciclos de pedidos por período de tempo, normalmente um ano. Consequentemente, o número de ciclos de pedidos vezes o número esperado de unidades fora de estoque durante cada ciclo de pedidos resulta no número total esperado de unidades em falta no estoque para o período inteiro. Então, multiplicando-o pelo custo da falta de estoque resulta disso o custo total do período.

 

O Método do Ponto de Pedido com Incerteza da Demanda e do Prazo de Entrega

 

Levar em conta a incerteza no prazo de entrega pode aumentar o realismo do modelo do ponto de pedido. É importante encontrarmos o desvio padrão. Combinar variabilidade de demanda e prazo de entrega desta forma representaria um aumento do desvio padrão e do resultante estoque de segurança. Advertimos que as distribuições de demanda e prazo de entrega podem ser dependentes entre si.

De outro modo, quando se faz um pedido de reabastecimento, tem-se uma ideia mais exata quanto ao prazo de entrega para determinado pedido.  É preciso cautela para não ocorrer uma superestimativa do desvio padrão e consequentemente do estoque de segurança.

Se os prazos de entrega variam imprevisivelmente, sugerimos o procedimento para determinar o desvio padrão da demanda durante o prazo de entrega:

Preveja a demanda no período do prazo de entrega.Um prazo de entrega começa quando se faz um pedido de reabastecimento. Registre a demanda acumulada naquele momento. Quando o material for recebido será, por definição, o fim do prazo de entrega. Examine a demanda acumulada. A diferença entre a atual demanda acumulada e o valor quando da liberação do pedido é precisamente, por definição, a demanda durante o prazo de entrega.Os valores desta variável podem ser previstos (normalmente com modelos muito simples de previsão) e o erro quadrático médio é a variância da demanda durante o prazo de entrega, exatamente aquele valor que estamos procurando.Alternativamente e com menor precisão, o prazo de entrega mais demorado pode ser usado como prazo de entrega médio com Sɩᵼ estabelecido em zero (0).

 

Por Anderson

 

 

 

 

 

Fale Conosco