Os cinco modais básicos de transporte oferecem serviços direto aos usuários. Isso ocorre em contraposição à utilização do “intermediador do transporte”, por exemplo, o despachante de cargas, que vende serviços de transporte  mas normalmente tem pouca ou nenhuma capacidade de movimentação direta. O serviço de modal exclusivo também faz contraste com aqueles que envolvem dois ou mais modais independentes de transporte.

Hoje iremos falar sobre um dos cinco modais.

 

Ferroviário

 

A ferrovia é basicamente um transportador de longo curso e de baixa velocidade para matérias primas (carvão, madeira, produtos químicos, ferro) e para produtos manufaturados de baixo custo (alimentos, papel e produtos florestais), e prefere mover cargas completas.

O serviço ferroviário existe em duas formas legais, comum e privada. Um transportador comum, ou público, vende seus serviços a todos os embarcadores e é normatizado pelos regulamentos econômicos e de segurança das agências governamentais com ingerência sobre o setor. Os transportadores privados, de sua parte, servem exclusivamente aos respectivos proprietários.

Devido ao escopo limitado das suas operações, os transportadores privados não necessitam de regulamentação econômica. O movimento ferroviário é quase totalmente público.

O serviço ferroviário comum é principalmente de carga completa (CL – carload). Esta diz respeito a um predeterminado de embarque, normalmente próximo ou excedente à capacidade média do vagão sendo aplicada uma taxa estabelecida.

As ferrovias oferecem uma diversidade de serviços especiais aos embarcadores, desde o transporte de granéis como carvão e cereais até vagões especiais para produtos refrigerados e automóveis novos, que exigem cuidados e equipamentos diferenciados.

 

Por Anderson

 

 

Fale Conosco